retrospectiva

esse desenho ficou com o meu irmão. espero que quando eu o visite em Lisboa esteja em uma moldura.

eu não costumo fazer balanços do ano mas veio na minha cabeça, assim sem muita sistemática, como um HD que desfragmenta em segundo plano. um comparativo ao estilo “versus” da revista Quatro Rodas.

2009 começou com um batedor de carteira no Equador. perdi meus documentos. apesar de nada mais grave ter acontecido até então aquilo me deixou abalado. os projetos profissionais não vingaram. e o último cliente não me pagou.

2010 eu voltei da América do Norte com equipamentos para trabalhar. ao chegar soube que um dos meus HDs parou de funcionar, perda da memória. eco de uma das poucas frases otimistas que aceito: não se joga uma vida inteira fora por conta de alguns revézes. coragem e força aí vou eu.

Anúncios

caderneta nômade

.

ver com os próprios olhos, registrar com as próprias mãos.

apesar de ter uma Canon 5D e um Mac Book Pro durante minhas andanças pela costa oeste norte americana também levei Canson e um potinho de Nanquim (na bagagem despachada para os policiais americanos não implicarem).

foram 3 semanas e 7 cidades. Los Angeles, Santa Bárbara, Las Vegas, São Francisco, Seattle, Richland e Vancouver (Canadá).

apesar do meu apreço por longos discursos tecerei nesse post apenas dois breves comentários:

1. esse pedaço do mundo é lotado de galerias de arte. a europa é cheia de museus. o Brasil tem exposições temporárias e meia dúzia de galerias elitistas. o novo mundo, o velho mundo, e a rapa.

2. saber dirigir não é suficiente para alugar um carro e chegar no preterido destino. primeiro uma placa de ventos fortes, minha experiência: olhe para as árvores: não balançam. ok. lufada de vento joga o carro para o lado, adrenalina, mas os pinheiros não se movem!!! lição um: você não conhece esse ambiente. peguei -10 graus na estrada, passibilidade de neve. lição número dois: você não tem correntes nem sabe colocá-las. (Não nevou, ufa!). chuva congela ao atingir o para-brisa. você não sabe como limpar. seu amigo brasileiro que mora a 5 anos nos E.U.A diz para jogar águinha no para-brisa. não congela pois eles adicional etanol!

último dia em Santa Barbara.

.