e se acordássemos sem qualquer posse?

,,

acordou no chão da floresta. reconheceu algumas das espécies vegetais, sabia o nome científico de duas das bromélias dali (inserir descrição). Apesar de saber isso não sabia algo muito mais trivial: como chegara naquele lugar.

TURBULÊNCIAS

– Preciso sair daqui!

Olhou ao redor para encontrar o trajeto que lhe oferecesse maior luminosidade. O Campo Aberto é Sempre mais Acolhedor.

Cinqüenta passos afrente pode avistar o telhado de uma casa. Certamente era um telhado, mas não lembrava de ter visto um assim jamais em sua vida.

– O que eu fiz ontem?

Sua lembrança mais recente era um aceno distante de sua mãe.

– Quando teria sido isso?

Não conseguiu colocar suas distantes lembranças em ordem cronológica.

Olhou para seu corpo na tentativa de identificar sua idade. Olhou para o acumulo de gordura de sua barriga, para suas mãos e puxou um tufo de sua franja.

– Devo ter uns trinta.

Observou as roupas que vestia. Lhe pareciam roupas ordinárias. Uma camiseta branca e uma calça quase negra. Não eram peças novas mas também não pareciam tão usadas assim.

– Andou em direção ao amontoado de casas e ao longe pode ver a primeira pessoa. Pelo porte físico julgou ser um homem de seus quarenta anos. Trajava roupas não muito diferentes da sua e ao cruzarem os olhares não notou qualquer estranhamento.

Pensou em falar com o homem mas seu constrangimento foi maior que sua vontade. Ao observar com mais atenção a arquitetura dos edifícios teve mais uma surpresa.

– Que raio de números são esses?

Deviam ser números, pois quase todas as casas possuiam pequenas placas com combinações diferentes de 3, 4 ou 5 símbolos. Ou quem sabe era o nome da família que morava em cada uma dessas residências.

,,,,,,,,,,

.

Anúncios

Tem marmelada?

,

encontrar

.

tá aí a palavra que define a oficina e a apresentação!

,

até furar

&

confissão: Algumas vezes, quando eu estou cabisbaixo e macambuso, vejo a obra “artística” alheia pra ter certeza que não sou tosco.

geralmente olho fotos.

.

poucas vezes revejo minhas próprias fotos.

só quando estou bem instrospectivo

hoje revi as da minha viagem pra américa do norte (influenciado pelo jogo de eliminação dos EUA?)

e pode parecer forçação de barra mas encontro meu ponto de vista muito claro.

Nem tratadas essas imagens estão… é um olhar cru.

E nas fotos tiradas de mim pelos paparazzi quase escuto meu pensamento:

“…não é pra você tirar fotos de mim, era só pra testar a câmera…”

“eu: é pra zuar mesmo nessas baladinhas… laura: não acredito que a gente tá fazendo isso no meio da pista”

expressões

os budistas se curvam frente a divindade que existe dentro de toda pessoa

eu cumprimento o espetáculo interno de cada um de nós

.

preenchimento

coço o braço

um som semelhante ao de um tubo oco ressoa

mais um truque da minha subjetividade?

sucedem outros pensamentos

a muvuca do metrô tem o som de um órgão

todo orifício corpóreo é prova científica de sua ocura

a vida se apresenta cheia como um ovo de casca lisa

camada de gosma e um centro esférico delimitado por fina membrana

e como preencherei esse vazio?

cigarros queimados

bebidas urinadas

pedaços de gente ocorrentados

de onde vem

.

segundo o profeta e poeta árabe Leinad Aenabar 2010 é o ano do vulcão

“não é a toa que estamos vendo Eyjafjallajoekull despertar”

um vulcão traz a memória geológica para a superfície.

minas de diamante são abertas quando o sono do vulcão se restabelece.

essas palavras de onde vieram?

de um lugar escuro e quente. viscoso e instintivo como o sexo.

um anel de diamante.

ERUPTAI-VOS!

na tua nuvem de cinza busco algo.

.

lobo siberiano

.

“Os jovens querem dinheiro fácil, querem tomar sem dar nada em troca, querem voar sem terem aprendido primeiro a caminhar. Acabarão se matando uns aos outros. E depois farão pactos com os tiras, e quando fizerem isso, espero que você, meu querido, já esteja bem longe daqui, pois este lugar vai se transformar num cemitério dos bons e dos honestos.”

educação siberiana – nicolai lilin

.

o que fazer numa madrugada de sexta?

Taiana dice:

 então, mas o que faz as pessoas comprarem pra impressionar e sem precisar é a publicidade

 acho q é lá q precisar começar td

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 mas pq elas já sao fracas

 tem q mostrar o q tem de luxo, deixar eles usarem mas eles terem consciencia q aquilo é um LIXO

 uma das maneiras na minha opinião é a falsificação

Taiana dice:

 incentivar o uso dos falsos? pra cair por terra o mito da exclusividade e bla bla bla?

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 falsificação e organização coletiva

 sim

 qual o sentido de comprar o exclusivo se ele não é nada exclusivo

Taiana dice:

 é, boa estratégia

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 a pessoa pode comprar o diferente mas por uma expressão nao pq ela tem medo de ser uma bosta

Taiana dice:

 saquei, nada de auto-afirmação por causa da marca

 então, aí é que tá, a legislação da publicidade é muito permissiva

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 essas celulas de desmonte social serão entao falsificadoras

Taiana dice:

 usam crianças, etc, etc

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 a publicidade pra mim é só um sintoma

 nao é causa

 a publicidade funciona em algun e nao em outros

Taiana dice:

 a causa foram os caras que aprenderam a cultivar o solo, vieram com essa estorinha de propriedade e fuderam com tudo

 hehe

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 mas o submisso acreditou q ele tinha aquele poder

Taiana dice:

 hunf, destruiu meu argumentinho tão bonito

 é uma loucura essa tal de interaçao social

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 eu acho q temos de implementar células de falsificação

Taiana dice:

 pq será q o cara foi submisso?

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 por medo acho

Taiana dice:

 como seriam as células!?

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 cada um falsifica algo q julgue possivel e importante

 bolsas, dinheiro, livros, aulas

Taiana dice:

 e faz circular na geral?

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 o quanto for possivel

 só de usar uma bolsa falsificada já acho q é algo

Taiana dice:

 pq vc não cria um site e espalha a idéia pela internet?

Daniel Rabanéa – Estou entre os cem melhores do Claro Curtas! dice:

 imagina umas pedras preciosas de plastico como briquedo?

Taiana dice:

 hahahahaha, ia ser bacana